domingo, 21 de fevereiro de 2010

A Noite Qualquer de Um Verão Singular

Lá se vai a noite...

Sete da manhã e eu aqui, ouvindo The Strokes.
Se estou com sono? De forma alguma (o que talvez seja uma mentira na qual eu queira muito acreditar)!
O Sol rasgando a janela, perfurando os espaços do tecido da cortina...

E por que não dormir?
Porque há tanto para se aproveitar. Tanto em que gastar a energia que, para falar a verdade, nem sei se ainda tenho.
Fechar os olhos agora é perder a maravilhosa oportunidade que a vida não vai me reservar novamente, de sair, de viver...
Sem essa baboseira escrota de "mudar o mundo".

Aproveitá-lo, sim.
Da maneira que ele se oferecer a mim...

Dormir, seria deixar para trás a chance de mudar a mim mesmo, lá, debaixo da vitamina D.
De correr das crianças, fugir do vento, se entregar ao brilho do céu...

O problema é que... acho que esse papo todo me deu sono.

zZzZzZzZzZzZz