sábado, 29 de setembro de 2007

Seus passos... aonde vão dar?


Quanto tempo gastei

na decisão do que não fiz?
E se optei por fazer nada
mesmo tendo de agir,
quanto tempo perdi por não me contradizer?

São vinte dois o número de passos
da mesa em que escrevo até minha cama,
meu quarto,
E mais passos do que posso contar
Me separam de você,
Confusão da minha mente
Delírio crescente da minha alma.

Quando devia ter caminhado e estagnei
e se andei e errei, por ter de parar...
quanto ainda vou ter de andar
pra aprender a lição e a equação?

Serão muitos os passos que darei,
a sola e os pés que gastarei
até fazer-te,
ferido e fraco coração
levantar para dar seus próprios passos?

Horas caminhando,
uma lição...
Sim! Existe vida após o amor.

Então,
rápida como o vento,
uma agridoce questão
depois de mudar diversas vezes de lugar
aonde seus passos vão dar... coração?


Filyppe Saraiva