segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Lágrima de Chuva (Killing Me)

Quatro da manhã e cá estou, acordado e confuso, ouvindo Maria Rita e refletindo sobre dias que vivi.
Essa tamanha dificuldade de abandonar o passado, que me impede de seguir em frente, por diversas vezes. São músicas que me lembram palavras, palavras que me lembram momentos, momentos que sufocam tudo.
Se eu não derramar algumas lágrimas hoje a noite, pode ter certeza que é fruto de muita força de vontade.

Na mente um dilema... Na verdade, diversos dilemas intrínsecos e cheios de significados absurdos.
Aonde, como, quando e por quê?

De onde vem essa nostalgia absurda? Essa incapacidade de aceitar que as coisas aconteceram como aconteceram porque tinham de acontecer e, do passado, eu jamais poderei mudar um detalhe, por menor que seja...
Quanto tempo dura essa agonia? Porque ela fere, e não é fruto do meu desejo como alguns ousam afirmar.
E a pergunta mais importante: Alguém pode fazer isso passar?

Se alguém tem a resposta, eu tenho meus braços abertos e um par de xícaras com chocolate quente pra compartilhar.

No fundo eu sei que sou quem está me matando...

... só não consigo parar.

E se eu chorar hoje a noite, não tem problema não.
Há de ser gota de chuva!