terça-feira, 30 de junho de 2015

Opinião | Sobre a treta com o Zeca Camargo

Sobre a treta com o Zeca Camargo, segue minha opinião:

São duas discussões diferentes e eu vou dar o meu ponto de vista sobre as duas. A primeira discussão é se ele foi ou não ofensivo em relação ao recém-falecido cantor Cristiano Araújo. E minha resposta? Não! Ele não foi ofensivo, ele tocou numa ferida que ainda não começou a fechar e, por isso, tanto alarde.

Zeca levantou que o país está carente de heróis, uma vez que na ocasião da perda desses heróis nós temos "liberdade" para se comover e todos somos solidários à causa, uns com os outros. Citou como exemplo Michael Jackson, Mamonas Assassinas, Cazuza, Ayrton Senna e por fim levantou a questão: Cristiano Araújo?

Eu faço a você a mesma pergunta. Todos os exemplos anteriores são de artistas com uma carreira consolidada, de anos de exposição midiática e na maioria dos casos, de carreira internacional. Ele não criticou a pessoa do Cristiano Araújo, só levantou que era um nome relativamente desconhecido. Ora, eu mesmo vim descobrir quem era o cara uma semana antes dele morrer. Ponto! Com isso, vou à segunda questão.

Ele colocou também que, a ausência de heróis se dá, em parte, porque ninguém mais constrói carreira. Vivemos na era dos artistas de um sucesso só! E eu levanto da cadeira e bato palmas pra ele até cansar a mão. Eu já venho falando isso há tempos, mas é sempre bom ver alguma figura pública falando abertamente sobre isso. A música sertaneja de hoje em dia é MUITO DIFERENTE DAQUELA DE VINTE ANOS ATRÁS, GRITANTEMENTE DIFERENTE e pasme, eu nem entendo de música sertaneja. Mas basta olhar para Zezé DiCamargo e Luciano, Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Xororó (e olha que eu estou me mantendo só no popular). São todos artistas com carreiras consolidadas e que duram até hoje, bem diferente dos atuais artistas do sertanejo, que vem com uma música que dura seis meses e desaparecem no meio dos próximos hit do momento, assim como aconteceu com o axé a poucos anos atrás.

Recentemente o cantor Jorge, da dupla Jorge e Mateus, deu uma entrevista na qual fala abertamente sobre essa situação. Ele diz que o mercado deles é podre e ele tem nojo de fazer parte dele.
"...A vaidade tá acabando com qualquer coisa boa que ainda restava nesse meio nosso. Se a nossa preocupação principal não for a música, a carreira tá com os dias contados."
Dá pra ler tudo aqui, ó!

Já há dois anos atrás, Maria Cecília e Rodolfo (lembra deles? Não?) deram uma entrevista onde diziam algo parecido.
" Nosso meio é muito sujo. A gente tem que estar sempre com um pé atrás, seja com quem for."
Essa tá aqui.

Então fica a pergunta: o Zeca Camargo estava mesmo errado? MESMO?

E vale responder a pergunta que esses mesmos cantores sertanejos criticados levantaram nas redes sociais: "Quem É Zeca Camargo?"
Eu não conheço a biografia do cara, mas sei que ele sabe muito mais de música do que toda essa galerinha aí. O cara fez parte do primeiro time de VJs do maior canal de música da televisão brasileira, a MTV. Ele se manteve à frente da maior revista eletrônica semanal da TV aberta brasileira, o Fantástico, por mais de dois anos. Mantém há mais de cinco anos a coluna de Cultura no site do G1, onde semanalmente fala sobre música, televisão, cinema e literatura, sempre com textões sensacionais.
E bem, é um pouquinho demais vir perguntar pra esse cara quem é ele, quando você teve algum sucesso com refrão que repete sílaba, como se lotar um ginásio com uma cambada de 10 mil pessoas pra repetir essa sílaba com você, te fizesse melhor do que alguém.
Nessas horas eu só me lembro daquela deliciosa frase do Mark Twain, que bem diz "Toda vez que você se encontrar do lado da maioria, é hora de parar e refletir".

Se bem que eu nem sei pra que eu escrevi tudo isso. 
Quem precisava de esclarecimento sobre a questão não vai ler até aqui mesmo, não é? É Zeca, no fim nós chegamos à mesma conclusão, tá foda surgir herói por aqui...