quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Eu Li >> Três Sombras, de Cyril Pedrosa


Esse sou eu, embasbacado com o último álbum que acabei de ler.
Me refiro a Três Sombras, do Cyril Pedrosa, lançado aqui na Terrinha pela Quadrinhos na Cia.

A narrativa conta uma parte da vida do casal Louis e Lise, e de seu pequeno filho, Joaquim, que viviam tranquilamente distante de tudo e de todos, numa casinha aconchegante sobre a colina.

Até que três sombras, encapuzadas e montandas à cavalo aparecem para mexer com a rotina dessa família. As sombras, sempre a espreita, levam Lise a apenas uma conclusão... estão ali para buscar o pequeno Joaquim. E é então que Louis parte para tentar salvar o filho daquelas três presenças agourentas. O livro foi escrito pelo autor após um casal de amigos perder um filho e traz nítida a homenagem encantadora em cada página, a cada pai ou filho.



A fantástica história é sobre o quão longe a gente é capaz de ir para salvar quem a gente ama, e é tudo tão bem amarrado de maneira metafórica (e linda), que é estou certo que vai encantar qualquer um que se permitir folhear a edição.

Vale mencionar que Cyril trabalhou na Disney como animador, em Hércules e O Corcunda de Notre Dame, por exemplo e que toda aquela coisa linda do traço Disney (como a fluidez no movimento, os traços exagerados que nos falam muito sobre a característica de cada personagem e as belíssimas landscapes) respira no fundo da obra de Cyril.

Soma-se a isso todo o talento do autor para utilizar os quadros e a iluminação no processo de contar a história. Nos momentos mais tensos a ilustração parece gritar, e sumir, ou lotar a tela inteira. Nada é claro o suficiente, como num sonho distante onde estamos sofrendo muito e não conseguimos fazer nada a respeito, agonia pura. Já nos momentos de alegria, todo o traço ressalta a beleza das pequenas coisas. É indescritível e impressionante.

O álbum foi agraciado no Festival de Angoulême, em 2008, prêmio francês importantíssimo para os quadrinistas.

Extremamente recomendado!