terça-feira, 12 de junho de 2012

Presente do Dia dos Namorados? Tá aqui o que há de melhor!

Então você tá procurando um presente pra dar para a pessoa amada e deixá-la com essa cara de feliz aqui:


Então veio ao lugar certo. Me acompanha depois do Leia Mais?



Norah Jones - ...Little Broken Hearts

Discão dos melhores.

Com letras muito boas e trabalho gráfico excelente, além da produção do fodão Danger Mouse, mas com uma pegada mais pop do que a dos trabalhos anteriores dessa guria louca do soft jazz, "...Little Broken Hearts" traz faixas com percussão caprichada, guitarras distorcidas e a voz da Norah sussurrada, com aquele ar de "mais sexy impossível".

Destaque pra faixa homônima do disco, "...Little Broken Hearts"; para a belíssima homenagem ao bom e velho blues em "4 Broken Hearts" e pra deliciosa "Happy Pills", que é de longe a melhor do disco e, não está longe de ser uma das melhores da Norah.
Trilha sonora perfeita para hoje a noite. Corre lá e compra, sério!

Fortemente recomendado!


KEANE - Strangeland (Deluxe Edition)


Sobre esse disco só há uma coisa a dizer: "Desculpa Norah Jones".

É que o álbum da menininha do soft jazz é até muito bom, mas Strangeland é excepcional. Pega do fã mais fervoroso ao ouvinte desatento, que nunca deu muita trela pro som mais sentimental do Keane.

O (agora) quarteto está muito bem e traz nas 16 músicas desse disco uma mistura do que de melhor o Keane fez nos discos anteriores.

Se você é daqueles que acha que dá pra levar a edição normal porque as quatro músicas da versão de luxo nem devem ser tão boas assim (além do fato d'ela ser digipak), eu lhe dou a resposta: Você está enganado! Primeiro porque, as músicas são excelentes. Cada faixa desse disco conta uma história toda sua e absolutamente cada uma delas foi escolhida a dedo. Segundo porque o Keane gravou esse disco todo em estúdios verdes, todo o processo de produção foi realizado procurando a menor emissão de carbono possível e o digipak foi a maneira específica que o Keane pensou em lançar o disco. Tudo isso vem lá de 2007, quando a banda participou do Live Earth e começou a levantar a bandeira do ecologicamente sustentável.

Se vale a pena?
Vale cada centavo e eu até pagaria um pouco mais por ele, se fosse preciso.

Os destaques ficam por conta dos singles "Disconnected" e "Sovereign Light Cafe" (que eu postei aqui, lembra?), além das excelentes The Starting Line, You Are Young e Run With Me.

Impossível não abrir as cortinas da vida e fazer aquela dancinha marota com essa aqui.



Segredo - Ivan Zigg

Esse livro é de uma fofura só, daquelas imensas e sem tamanho (afinal, imenso não é um tamanho... né?!)
Vai falando do que é o segredo mais secreto que secretamente jamais poderá ser revelado (regra, é claro, que não vale para a Lei da Última Página, que tem o poder de revelar o segredo que quiser).

Eu adorei (e o pessoal lá dos Roedores de Livro também, dá uma olhada).

Outro mágico é o Você do Stephen Michael King...

Esse cara é o preferido de uma porrada de adulto fã da literatura infantil. Também, pudera... Com "O Homem Que Amava Caixas" ele deu aquele chute no estômago de quem sempre achou que o livro infantil era coisa pra criança, trazendo uma história de amor entre pai e filho que deixa reflexivo o mais cético de coração duro. Já com Você, o autor traz a história de um cachorrinho que se utiliza do mundo pra demonstrar o quanto VOCÊ é importante. Não consigo explicar, desculpa, mas só lendo!


Tem também o Mania de Explicação, da Adriana Falcão, que faz uma viagem pela vida de uma garotinha que sabia explicar todas as coisas, menos uma. Esse é todo ilustrado pela Mariana Massarani, que é uma das nossas melhores ilustradoras e tem um traço todo seu. Lindo e recomendado até não poder mais.

A cada palavra que essa menina dá uma explicação, você se arrepia... Aí vão alguns exemplos:
"Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança pra acontecer de novo e não consegue."

"Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa. "
ou até "Sucesso é quando você faz o que sempre fez só que todo mundo percebe.".

E por último, mas não menos importante, o belíssimo e inoxidável A Grande Fábrica de Palavras, da Agnes de Lestrade com ilustrações da Valéria Docampo. Lindo lindo lindo.

Imagina se, para falar ou escrever, a gente tivesse que pagar pelas palavras que usa? Eu mesmo estava muito ferrado na vida. Só por esse post aqui, putz... quero nem pensar. Mas enfim...

O Philéas (o moleque ali na capa) é apaixonado pela Cybelle e tem que dizer pra ela, a qualquer custo o quanto ela é importante pra ele. Só que, obviamente, o Eu Te Amo custa caro pra caramba (o que eu acho que podia até acontecer no mundo real, pro povo para de ficar usando tanto assim, em vão). Philéas junta toda palavra que pode pegar, solta, a voar pelo ar pra entregar a Cybelle.

Se eu recomendo? Só uma palavra sobre ele: <3

Ah, como um bônus track, vai a dica do livro com o qual eu presenteei minha querida noiva mais linda do mundo inteiro nesse Dia dos Namorados... Where Does Love Come From?, todo ilustrado pela Milena Kirkova.

Preciso nem dizer que ela adorou, né?!

Por que?

Olha isso aqui:




AHHHHHHHHHH! Quase ia me esquecendo de mais um incrível...
Estou falando do Felizes Quase Sempre, do Antonio Prata, toooooooooodo ilustrado com a arte sensacional do Laerte.

Esse conta a história desse casal de príncipe e princesa que finalmente conseguiram ser felizes para sempre... até descobrir que a vida pode ser um grande cocô de hipopótamo se você não passa por uma ou outra coisinha ruim.

Daí, eles se reúnem com outras figuras que passam pelo mesmo mal (entre elas a vovó da Chapéuzinho, o caçador e até os cavalos dos príncipes) pra tentar sanar esse problema de uma vez por todas. Mas sem injeções.

A Fran ganhou esse no mês passado e eu acho que ela gostou. Pergunta lá pra ela se é bom!

Prontinho, agora você já tem dicas mais do que suficientes para ganhar o Prêmio Oficial de Parceiro Com Presentes Mais Épicos de 2012.

Fiquem na paz e façam amor.

PS: Agora se, dar presente porra nenhuma, você quer mesmo é dar um tiro no(a) indivíduo(a), por ele(a) ter sido um(a) babaca completo que fodeu a porra toda, clica aqui e vai ser feliz!