quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Então, é Natal?

O que você quer ter, daqui para frente?
Quais são as coisas que você deseja conquistar? O que vale o teu suor, teu sacrifício? Quais são os medos que você vai deixar para trás? De quantos outros sonhos você vai abrir mão para alcançar os que almeja?
E se teus caminhos provarem ser impossível obter o que queres? Vai desistir?
Quando é a hora de parar de lutar? E... Para o que não se deve parar de lutar nunca?
Sabe... Se há algo que aprendi assistindo ao sofrimento da minha avó, foi que mesmo em face da dor, unidos, alcançaremos a paz de espírito e é disso que se faz a felicidade. A alegria á a presença intensa da tranqüilidade da alma, do amor!
Com a união, podemos chegar a lugares inimagináveis, alcançar o impossível e realizar o insonhável...
Há quem diga que o verdadeiro amigo é o que permanece contigo na hora da tristeza, no entanto, creio que isso seja um engano dos grandes. Uma vez que até o inimigo é capaz de suportar tuas lágrimas, tendo em vista que isso o fortalece, amigo de verdade é quem não te abandona nos momentos de alegria, porque é aí, que somos insuportáveis.
Neste momento, onde todos estamos nos reunindo, estamos contentes, podemos partilhar um pouco desta amizade, desta união, desta felicidade que permite o impossível.
O que peço, é que reflitamos um pouco sobre quem somos, aonde estamos (eu me refiro à sua vida, não ao lugar onde pôs sua bunda gorda), aonde queremos chegar e, sobretudo, o que estamos fazendo para que os nossos irmãos cheguem aonde desejam estar.
Somos responsáveis sim, uns pelos outros. Responsáveis não por levá-los aonde querem chegar, mas por abrir os caminhos para facilitar o acesso.
Que em 2009, cada um de nós espere menos reconhecimento, seja mais humilde e amoroso, mais compreensivo, que ouça mais e ouça melhor. Que aprendamos a não destruir os sonhos alheios, porque eles são o combustível da alma.
Que sejamos então, a ponte que separa quem somos hoje, sozinhos, de quem seremos amanhã, irmãos, afinal de contas... Somos todos mesmo, eternamente responsáveis por quem cativamos.
#fikdik