quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Quem sou eu?

Eu sou o luxo esdrúxulo, a sede e o pó, o veneno e o perfume, o sonho e o suor.

Sou o que precisa ser feito, o fácil e ágil, patético e feio, inédito plagiado, o som de um tiroteio, o medo do espaço, o que veio e o que não veio...

Sou a essência do real, a loucura e a lucidez, um medo de criança, sou cliente, sou freguês.

Eu perco toda a razão quando tempero meus sorriso com ironia, sarcasmo, cinismo. E minha risada é recheada disso, o que me faz tolo e fraco, o que transforma meu caráter num rato.

Sou a sujeira e a perfeição, o poder e a fraqueza, sou o bolo, a cereja, e sou, acima de tudo, o que ousar ser d'agora em diante!

Eu sou Filyppe Saraiva Barbosa, prazer.